Dokudami vem da palavra dokudomi que significa a ‘retirada do veneno’. Seu nome científico é Houttuynia cordata e é uma planta nativa da região sul da Ásia sendo facilmente encontrada no Japão, China e sudeste asiático. Conhecida no Japão desde o período Heian e denominada dokudami desde o período Edo, esta planta perene nasce e cresce quase como um mato, ao redor das casas e na beira das estradas, é uma planta que adora sombras e floresce aos verões.

Tornou-se bastante popular na Idade Média, por suas propriedades curativas, quando utilizadas maceradas – com ou sem sal – e aplicadas sobre cortes, machucados e feridas.

Seu odor pungente e característico vem de aldeídos e cetonas que também agregam propriedades antibacterianas, anti-inflamatórias, depurativas, desintoxicantes, antioxidante e restaurador da saúde capilar (vasos sanguíneos). É também diurético, febrífugo, hipotensor, previne a arterioesclerose, auxiliam no tratamento de gripes e sinusites, e melhoram a saúde do sistema digestório causado pelo stress. Com tantas propriedades não é pra menos que é uma das 3 principais plantas medicinais conhecidas até hoje no Japão junto com o Gennoshōko (ゲンノショウコ) e Senburi (センブリ).

Além de suas propriedades terapêuticas podem também auxiliar numa pele mais rejuvenescida e a restaurar o couro cabeludo. Suas propriedades que melhoram a vascularização e oxigenação fazem com que os cabelos passem a crescer mais fortes e saudáveis, tornando-o excelente anti-queda. Para a pele, melhoram seu viço e aspecto mais jovem.

Todo esse conhecimento empírico passado de geração a geração, resultou em diversas formas de consumo da planta atualmente no Japão. Desde loções e tinturas aplicadas à pele, ao chá – vendido em farmácias como “10 medicações”, ela é também consumida na forma de tempurá e macerada em saquês, sempre após a retirada de seu odor característico através da fervura.
Porém, vale ressaltar a recomendação que encontramos em vários sites japoneses: seus benfícios só se mantêm se consumido moderadamente. Seu consumo excessivo pode causar efeitos colaterais como diarreia ou hipercalemia (problemas renais advindos do excesso de potássio no organismo).
O que desenvolvemos com o Dokudami são:
Sabonete de Argila Verde & Dokudami, clique aqui para saber mais.
Sais de Banho de Argila Verde & Dokudami, clique aqui para saber mais.
Referências sobre Dokudami: Referência 1 | Referência 2 | Referência 3 | Referência 4

Referências das imagens: Foto 1 | Foto 2 | Foto 3