O sabonete de Castela é produzido com 100% dos óleos exclusivamente com o de oliva. Recebeu esse nome pois nasceu na região de Castela, na Espanha, há centenas de anos. Atualmente, o autêntico Castela é produzido com 100% dos óleos em oliva extra virgem, diferentemente do de Marselha, que recebe uma porcentagem de gordura saturada para acelerar sua saponificação, e do de Alepo, que era feito com óleo de louro.

Resolvemos começar a produzir o de Castela somente após o domínio da produção da massa de um sabão por cold process: chegamos ao 4º lote, utilizamos praticamente 3 kg de azeite de oliva extra virgem, e todas as barras foram feitas sem óleos essenciais. Adotando esse último critério, foi possível manter a exclusividade das propriedades do óleo de oliva extra virgem (leia mais informações abaixo) no sabonete, para ser utilizado por qualquer tipo de pele, inclusive as muito sensíveis e delicadas.

Cada barra, ao ser produzida, demoram de 12 a 24 horas pra serem moldadas. Isso acontece pois o óleo de oliva demora a saponificar. É um processo bem mais lento que a saponificação do óleo de coco, por exemplo, que é quase imediata. Seu processo de cura também pode ser um pouco mais demorado que os outros sabonetes, mas todo esse trabalho resulta em barras sólidas com uma qualidade inigualável para o banho e pós-banho. Tudo isso pudemos constatar durante esse período de quase 1 ano, desde o 1º lote. Não é pra menos que o sabonete de Castela é um must da saboaria artesanal.

Existe um mito de que todo saboeiro tem por desafio dominar a produção lenta e que demanda resiliência desse sabão. Seu processo lento e cheia de dúvidas, principalmente para principiantes, leva a supôr que a massa desandou. É realmente um desafio. Mas, aos poucos, cada saboeiro domina sua produção e começa a reequilibrar seus ingredientes seja para ter um processo de cura mais rápido, seja para torná-lo mais sólido, seja para ter um equilíbrio entre dureza/prorpriedades, etc. E, ao final, é possível que cada um desenvolva sua própria versão do sabonete de Castela.

Na Aidée, resolvemos adotara pele de nosso filho com dermatite atópica como referência, adequando o equilíbrio entre os ingredientes até chegar na receita ideal que não irritasse sua pele, não ardesse com a espuma (sim, é possível que alguns sabonetes naturais ardam a pele) e principalmente não deixasse sua pele sem a proteção natural, que é o sebo, minimizando o ressecar da pele.

Foi testando que chegamos nas proporções atuais que resultou num sabonete de espuma pequena e macia, textura de gel e uma “agradável sensação de passar um óleo de massagem na pele” durante o banho, como diz nosso filho com dermatite que o utiliza todos os dias.

É possível também lavar os cabelos com o sabonete, passando um vinagre de maçã após a lavagem para selar os fios por conta do ph mais alto dos sabonetes artesanais. E pode-se lavar o rosto, fazer um xampu liquido a partir da barra e até escovar os dentes como diz Beth Bacchinni, uma das saboeiras mais experientes do Brasil. É um sabonete que pode ser utilizado tanto por bebês como por idosos. Portanto, é versátil e adequado a qualquer tipo de pele.

A qualidade do sabonete depende, em grande parte – assim como na culinária – da qualidade dos ingredientes utilizados. Por isso, para a produção desse nosso sabonete de Castela utilizamos um azeite de produção familiar e nacional. Possui uma cor amarelo esverdeada que dá o seu tom à barra final.

Os sabonetes ficam curando por 6 semanas a 8 semanas, quando atigem a dureza ideal, antes de receberem as embalagens. Como qualquer produto natural sua cor vai se alterando, ao longo do tempo, e a barra vai se tornando esbranquiçada.

Os sabonete formam um gel onde ficam resíduos de água e podem durar de 3 a 6 semanas se utilizados para lavar o corpo diariamente.

AS PRORIEDADES VÊM DO ÓLEO DE OLIVA?

 

Cada sabão artesanal possui diferentes ingredientes e acaba adquirindo diferentes características. Não é só o óleo essencial que agrega propriedades ao sabão mas cada um dos ingredientes com os quais ele é produzido. O sabonete de Castela possui propriedades e características peculiares que são sensíveis à pele durante e após o banho como citamos acima. Atribuímos toda essa qualidade ao óleo de oliva.

O óleo de oliva, utilizado há mais de 5.000 anos teve seu uso originário como um protetor térmico. Foi com os gregos e romanos que passou a ser utilizado na culinária, como medicamento, e até como combustível de lamparinas como cita a azeitóloga Laura Reinas. E há nem tanto tempo assim, “Rita Hayworth (…) cuidava dos cabelos passando azeite de oliva” diz Nilu Lebert na entrevista concedida à Aidée.

Daí já se nota a versatilidade desse óleo que atravessa a história da humanidade, cheio de riquezas vindas de um fruto pequeno, nascido de uma árvore tão resistente. Para produzir 250ml de óleo de oliva, são necessários em torno de 1300 a 2000 azeitonas. Hoje o processo de extração vai desde o método tradicional a outros mais modernos fazendo uso da pressão e temperatura.

Um de seus benefícios vem dos polifenóis: substâncias que reduzem os radicais livres do organismo, prevenindo o envelhecimento precoce da pele.

Em termos físicos um óleo que lubrifica a pele, condiciona – por suas propriedades hidratantes e emolientes – e é dermo-protetor. Auxilia no controle do colesterol LDL, na proteção cardíaca e na regeneração celular.