Foto: Sandra – Hayô Objetos

A riqueza que um evento proporciona são as possibilidades de encontro com as pessoas. São elas que – engrandecidas pela vivência, pelas histórias, pelos saberes e conhecimentos, e, principalmente, pela generosidade em compartilhar – nos trazem a compreensão do SER humano e tudo o que acerca a vida em sua simplicidade e naturalidade.

Através da Aidée temos tido a oportunidade desses encontros maravilhosos nesse último 1 ano e meio. E é através dela que tivemos a chance de participar do 17º Mercado a Mão Cheia no Atelier Hideko Honma, no final de 2017. Foi lá onde percebemos quantos de nós está construíndo seus caminhos, com trabalhos e vivências completamente diferentes um do outro – mas de uma riqueza incomparável –, buscando sempre a melhora em sua qualidade de vida e na dos que os acercam, num constante exercício de fé.

Dentre mais de 40 expositores talentosos que participaram, gostaríamos de falar do trabalho de 2 que são singelos, despretensiosos e executados com um cuidado que nos chamaram a atenção. O respeito pela natureza é a primeira característica que percebemos. Cada um deles desenvolve seu trabalho respeitando cada material e planta em seu ritmo natural. A beleza e a simplicidade de seus objetos estão justamente na pureza das linhas e de seus desenhos que se formam conforme vão se desenvolvendo ou sendo descobertos. E as histórias de cada parte, de cada pedacinho do trabalho são o que significam o objeto no seu todo.

Foi amor à primeira vista quando vimos os terrários da nôMato e os óculos da Hayô Objetos.

 

nôMato

Olhar para os terrários é perceber a beleza do universo dentro de um vidro. É entender a pureza de um ecossistema em forma de poesia. Não são necessárias palavras pra descrever seu trabalho. Mas observar a simplicidade e o respeito de Nô – apelido de Noemi – cuidando de seus terrários logo pela manhã, antes do início da feira, foi inspirador e é onde se compreende seu trabalho. É inevitável não se apaixonar. E o melhor é que é possível ter um pouco desse mundo idílico em casa. Eles são fáceis de cuidar, segundo Nô, pois não exigem luz solar nem rega diária. São perfeitos para apartamentos e adequados à vida urbana. Clique aqui, pra conhecer mais sobre a nôMato. O difícil vai ser escolher com qual deles ficar! 😉

 

Hayô Objetos

A Hayô já conhecíamos através das redes sociais. Mas ao conversar com a Sandra é que compreendemos a grandeza de seu trabalho, recheado de histórias e vivências que teve ao longo da vida ao lado de seu marido. É Jörg quem produz os óculos. Todos feitos artesanalmente, um a um. Muitas das madeiras vêm de demolição. Recebem seu tempo de tratamento e descanso necessários e depois são aos poucos ‘descobertas’. Descobertas pois ao serem talhadas é que mostram a sua beleza, seu traço e seu desenho. Os óculos são um trabalho criativo, intuitivo da mão do artista e de respeito pelo que a natureza oferece. A precisão dos entalhes vão criando seus desenhos que os tornam únicos. Confortáveis, alguns emolduram o rosto, outros, como contou Sandra, metamorfoseam a pessoa, que soltam os cabelos e descobrem outras personas. Não é deliciosamente transformador? Clique aqui, pra conhecer mais sobre a Hayô Objetos e veja com qual ou quais deles você se identifica! 😉

Aos visitantes, expositores, staff, colegas, amigos e novos amigos, gostariámos de expressar nossa gratidão pelo tempo que tivemos oportunidade de passar com vocês! E que nesse ano de 2018 muitos novos encontros sejam possíveis!